Bacalhôa Buddha Eden – o maior jardim oriental da Europa

Foi em 2008/2009 que visitei o Bacalhôa Buddha Eden pela primeira vez, a convite de uns familiares. Nunca tinha ouvido falar naquele espaço mas, assim que nele entrei, fiquei maravilhada com a dimensão e a quantidade de esculturas de budas. Na altura ainda não se pagava entrada, não havia muitos pontos de interesse além da grande escadaria e do exército dos Guerreiros de Terracota (que, na altura, eram dessa cor) e muitos dos percursos estavam enlameados. O Bacalhôa Buddha Eden começou a tomar forma em 2006, por isso, nesta altura era ainda o início de algo em grande.

Voltei ao Buddha Eden em 2011, já a pagar 3€ de entrada, oferta de uma garrafa de vinho (este espaço faz parte da Bacalhôa Vinhos de Portugal) e muito mais para ver. Agora em 2018 voltei mais uma vez, porque o Bacalhôa Buddha Eden é daqueles espaços que estão em constante mudança (estima-se que as obras terminem em 2020) e há sempre coisas novas para ver, além de nos transmitir uma paz incrível.

O Bacalhôa Buddha Eden é, atualmente, o maior jardim oriental da Europa e surgiu como protesto contra a destruição dos Budas Gigantes de Bamyan, no Afeganistão, em 2011. Encontra-se localizado na Quinta dos Lóridos, no Bombarral, e ocupa cerca de 35 hectares com jardins, relvados, lagos, budas, pagodes, estátuas de terracota e várias esculturas.

buddha-eden-11buddha-eden-15buddha-eden-13

buddha-eden-12

A célebre escadaria do Buddha Eden na qual muitas pessoas aproveitam para tirar a “fotografia da praxe”. Eu não consegui evitar captar esta sessão fotográfica de gravidez que estava lá para durar, ahahah

Este grandioso jardim é o sítio ideal para nos esquecermos do mundo lá fora. Há tanto para ver, tanto para observar com detalhe, tantos caminhos para descobrir e os vários jardins convidam-nos a parar para meditar ou simplesmente relaxar e viver o momento – como nos ensina o livro d’O Poder do Agora, acerca do qual falo neste post.

Recentemente passou a ser permitida a entrada de cães no jardim, desde que devidamente acompanhados por trela. Fiquei muito contente quando soube disto, porque os nossos amigos  de quatro patas são uma das companhias ideias para visitar o Buddha Eden e tornar o passeio ainda mais memorável. Por isso aproveitámos para levar a nossa cadelinha Peppa, que durante todo o tempo esteve super entusiasmada com tudo, sobretudo com as sardaniscas que encontrava à espreita nas esculturas! ahahah

buddha-eden-2buddha-eden-3buddha-eden-9

Nesta visita não tirei fotos ao espaço todo, o que vêem neste post é cerca de 1/3 do que há para ver e descobrir. Porque o Buddha Eden tem esta energia que nos incentiva a esquecer as fotografias e a valorizar tudo o que está lá para nós apreciarmos no momento, e não mais tarde através de um ecrã. É mesmo uma ode à paz e à natureza com arte à mistura. Vale a pena perdermo-nos neste jardim durante uma tarde inteira porque com certeza será uma tarde muito bem passada.

buddha-eden-6

os pequenos budas que parecem brotar do chão são uma das minhas esculturas preferidas neste jardim

buddha-eden-5

buddha-eden-10

no Buddha Eden existe um comboio turístico que dá a volta ao jardim (4€) mas, na minha opinião, vale muito mais a pena conhecer o espaço a pé

buddha-eden-4buddha-eden-16

Quando estiverem de folga num dia solarengo, apostem numa visita ao Buddha Eden! O espaço está aberto todos os dias das 9h às 18h (excepto a 1 de Janeiro e a 25 de Dezembro). À data da nossa ida (março de 2018) a entrada custou 5€ por adulto e o tempo estimado da visita é de 2 a 4 horas. No caso de terem fome ou sede, existe uma cafetaria/snack-bar junto ao lago principal.

Saibam mais sobre o Bacalhôa Buddha Eden no site oficial, levem calçado e roupas confortáveis e desfrutem do passeio! 🙂

mapa-loridos-final10-co_piabuddha-eden-14