7 estratégias para poupar dinheiro – e finalmente realizar os nossos objetivos

É normal que, nos primeiros anos/meses em que começamos a trabalhar (sobretudo se isso coincidir com sair de casa dos pais), tenhamos alguma dificuldade em gerir o nosso próprio dinheiro. Além dos gastos base, que devem ser sempre prioritários (comida, água, luz, gasóleo…), muitas vezes surgem imprevistos ou tentações que nos troca as voltas quando o objetivo é poupar dinheiro.

No meu caso, durante muito tempo tive dificuldade em pensar a longo prazo e colocar dinheiro de parte em vez de comprar algo de impulso. Mês após mês prometia a mim mesma que no mês seguinte ia conseguir cumprir o desafio de 30-dias-sem-comprar-coisas-supérfluas… mas vocês imaginam o que acontecia, não é? Tinha ali aquele dinheiro a sobrar na conta e “não fazia mal” se comprasse uma coisa ou outra. Muitas vezes acabava o mês só com 5€ e sentia-me péssima a gerir o meu dinheiro. O ciclo repetia-se até que, certa altura, lá chegava uma despesa maior e eu era obrigada a entrar em contenção de custos – que foi o que originou o meu desafio de 2 meses sem comprar nada. Com esses percalços percebi que não podia mais andar a brincar às “comprinhas inofensivas”: tinha de ser realista e perceber como é importante poupar dinheiro não só para realizarmos objetivos, como também para nos prevenirmos de despesas inesperadas.

Nisto comecei a colocar em prática algumas estratégias para poupar e gerir dinheiro que deram e dão resultado. Algumas são clichés, outras são menos comuns. Partilho-as abaixo convosco, espero que vos ajudem também! 😀

Feel free to use this image, just link to www.SeniorLiving.Org

7 estratégias para poupar dinheiro
e finalmente conseguir realizar os nossos objectivos

  1. ABRIR UMA CONTA-POUPANÇA NO BANCO
    Esta é, provavelmente, uma das formas mais fáceis de poupar para quem não gosta de mealheiros. Penso que em qualquer banco é possível definir que, todos os meses, o banco transferirá automaticamente um valor fixo da conta à ordem para uma conta-poupança. Como é automático até nos esquecemos que acontece e, no fundo, é como se aquele dinheiro não existisse/não estivesse disponível.
  2. PREFERIR QUALIDADE A QUANTIDADE
    Todos já tivemos momentos em que chegámos à conclusão que é preferível comprar algo bom e que dure do que uma versão mais barata que não serve tão bem a sua função – seja em relação a maquilhagem, malas, calçado, eletrodomésticos, o que for. Ainda que pareça contraditório, porque vamos estar a gastar mais dinheiro no momento, é este um dos focos para poupar dinheiro. A longo prazo resulta muito bem porque não vamos sentir necessidade de substituir essa compra.
  3. VALORIZAR & RECICLAR O QUE TEMOS
    Quantas vezes cedemos à tentação de comprar coisas novas e, depois, chegamos a casa e percebermos já tínhamos algo muito semelhante? Ou que podíamos ter adaptado facilmente? Muitas vezes o problema é ter tanta coisa que já não damos valor ou preferir comprar algo pronto em vez de fazermos nós. Mas é aqui que também podemos poupar algum dinheiro!
  4. APOSTAR NOS DIYS
    Foi sobretudo quando saí de casa dos meus pais que percebi a importância dos DIYs para poupar algum dinheiro. Mobilar e decorar uma casa pode sair bem caro, mas não tem de ser assim. Eu e o Zé muitas vezes fizemos nós mesmos ou adaptámos móveis existentes que, se comprássemos novos, custariam algumas centenas de euros. Acredito que muitos projetos podem ser feitos por nós através de tutoriais que encontramos em blogues e no youtube.
  5. FAZER COMPRAS RACIONAIS
    É difícil pensar racionalmente quando estamos rodeados de objetos que nos atraem, uma musiquinha de nos distrai e um aroma que nos confunde – quem nunca passou por isto numa loja? As compras por impulso são inimigas da poupança, por isso é nestes momentos de tentação que precisamos ter os pés bem assentes na terra e colocar a nós próprias uma série de questões: precisamos? o que é que essa compra nos vai acrescentar? não podemos deixá-la para outro momento? – escrevi sobre isto no post dica de compras: distinguir ‘preço’ de ‘valor’;
  6. DEIXAR AS COMPRAS SUPÉRFLUAS PARA O FINAL DO MÊS
    Hoje em dia as lojas fazem imensas promoções fora da época dos saldos e, se repararem, é ali pelo meio e final do mês que as promoções valem mais a pena. Por essa razão, e também para evitarem chegar a meio do mês quase já sem dinheiro, que é preferível deixarem as vossas compras supérfluas/caprichos para esta altura. Conseguirão avaliar melhor se realmente precisam de fazer essa compra e, à partida, conseguirão poupar algum dinheiro.
  7. USAR UMA APLICAÇÃO DE FINANÇAS PESSOAIS
    Já tentei habituar-me a anotar num caderno ou numa folha de Excel todas as minhas despesas, mas acabava por me desleixar porque me esquecia do valor exacto das coisas que tinha comprado, ou simplesmente de as anotar. Recentemente decidi instalar a aplicação de finanças pessoais Boonzi, que é gratuita e portuguesa, e me parece bastante prática (sobretudo porque está sempre à mão, no telemóvel).

Par terminar, defendo que acima de tudo é importante perceber a importância de poupar dinheiro, não só para mais tarde podermos comprar ou investir em algo que realmente queremos e que nos faz falta, como também para fazer face a imprevistos e evitar decorrer a créditos desnecessários.

E vocês, que estratégias usam para poupar dinheiro?
Deixem as vossas dicas nos comentários! 🙂